Página melhor visualizada no Mozilla Firefox e no Internet Explorer 8
Ferramentas Pessoais
Acessar
Página melhor visualizada no Mozilla Firefox e no Internet Explorer 8
Você está aqui: Página Inicial Notícias MPF, CGU e PF deflagram operação para desarticular organização criminosa no Alto Sertão da Paraíba
 
 

26/06/2015 - 07h00

MPF, CGU e PF deflagram operação para desarticular organização criminosa no Alto Sertão da Paraíba

Quadrilha agia através de fraude a licitações, superfaturamento em licitações, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. Mandados de busca e apreensão, prisões e sequestros de bens estão sendo cumpridos na manhã desta sexta-feira, 26 de junho

Notícia atualizada em 26/6/2015, às 17h45

O Ministério Público Federal em Sousa (PB), a Controladoria Geral da União e Polícia Federal, deflagraram na manhã desta sexta-feira, 26 de junho, a Operação Andaime* para desarticular quadrilha especializada em fraudar licitações em obras e serviços de engenharia executados por 16 prefeituras do Alto Sertão da Paraíba. Estima-se em R$ 18.337.000,00 o montante de verbas federais alcançadas pelos criminosos.

Confira áudios da coletiva:

Tiago Misael - procurador da República

Glautter Morais - delegado de Polícia Federal

Fábio Araújo - coordenador regional da CGU

Foto da entrevista coletiva

A operação ocorre no Estado da Paraíba, onde estão sendo cumpridos 3 mandados de prisão preventiva, 7 mandados de prisão temporária, 4 mandados de condução coercitiva, 15 medidas de sequestro de bens e 18 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 8ª Vara da Justiça Federal em Sousa (PB).

As buscas e apreensões estão ocorrendo nas sedes das prefeituras de Cajazeiras, Joca Claudino, Bernardino Batista e Cachoeira dos Índios, em quatro estabelecimentos comerciais de Cajazeiras e nas residências de 11 pessoas físicas, nos municípios de Cajazeiras, Uiraúna e Joca Claudino, dentre as quais constam empresários e engenheiros responsáveis por obras e serviços de engenharia custeados com recursos federais.

Cerca de 80 agentes da Polícia Federal e dez auditores da CGU participam da operação.

Até o presente momento, as investigações indicam que a organização criminosa vinha atuando, pelo menos, desde 2009, desviando recursos federais através de irregularidades em licitações e contratos públicos, em especial a montagem de procedimentos licitatórios e a venda de notas fiscais. Os crimes também incluem lavagem de dinheiro através de empresa fantasma.

O procedimento investigatório criminal do MPF está embasado em relatórios de auditoria da CGU, informações policiais e relatórios de análise obtidos a partir do afastamento do sigilo de alguns investigados.


*A operação foi denominada Andaime em razão das fraudes terem sido perpetradas no âmbito de uma empresa do ramo da construção civil, com a participação de diversos engenheiros e fiscais de obras das prefeituras.

Com informações da Assessoria de Comunicação da CGU

ENTREVISTA COLETIVA:

Data: hoje (26/6) às 15h
Local: auditório do Fórum Miguel Sátyro, localizado n Avenida Doutor Pedro Firmino, s/n - Centro - Patos (PB) - CEP 58700071


Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República na Paraíba
Fone Fixo: (83)3044-6258
Celular: (83) 9132-6751
No twitter: @MPF_PB

acessibilidade-w3c       Av. Getúlio Vargas, 255/277, Centro - João Pessoa - PB CEP: 58013-240 / Fone (83) 3044-6200 acessibilidade-brasil
PRPB-ascom@mpf.mp.br